Dicas para seu filho comer bem

Estimular o consumo de frutas, verduras e legumes é uma das mais complicadas tarefas dos pais

Publicado em 27/05/2016

A partir de um ano de idade, as crianças são capazes de escolher o que mais agrada o paladar. Além disso, como já não crescem tão rápido como nos primeiros 12 meses de vida, ocorre uma diminuição do apetite. Para que a hora das refeições não vire um pesadelo, separamos algumas dicas para você criar o hábito da boa alimentação em seus filhos:

Conhecer os alimentos é importante

Uma boa dica é levar as crianças a feiras e supermercados. Deixe seu filho pegar, apertar e cheirar as frutas e legumes. Após os 3 anos de idade, ele pode até ajudar a escolher e, enquanto isso, você pode explicar a importância de consumir determinado alimento - "a cenoura faz bem para nossa pele", "a banana deixa a gente forte para brincar" e assim por adiante.

Preparos diferentes

Cozinhar os legumes no vapor conserva suas vitaminas e também suas cores. Procure oferecê-los de modo que as crianças possam comer com as mãos. Cenoura baby, milho na espiga, tomate cereja, vagem inteira, brócolis e outras hortaliças cortadas em palito são ótimas opções.

Mesmo que seu filho não tenha gostado de determinado legume, insista de formas diferentes - ele não gostou da cenoura na sopa, mas pode ser que de um suflê ele goste. Claro que, se ele rejeitar novamente, você deve respeitar, pois nenhum alimento é insubstituível por conta de seu valor nutricional.

Apresentação atrativa

Nada de exagerar na quantidade, isso já assusta a criança. O ideal é separar os legumes em diferentes vasilhas, assim ela vai pegando o que quer. Invista em formas de carinhas e desenhos para as frutas e legumes.  Pratos, talheres e toalhas coloridas também são bem-vindos na mesa.  

Cozinha também é lugar de criança

O preparo de uma refeição, que para a maioria das mães é um dever, pode ser a maior diversão para os filhos. Claro que deve-se tomar cuidado com facas, forno e fogão, mas há muito que eles podem fazer: espremer laranjas, descascar ovos cozidos, pegar os legumes na geladeira, lavar as frutas, mexer uma massa de bolo. Tudo isso desperta o interesse e aumenta a possibilidade da criança provar e gostar daquilo que ela ajudou a preparar. 

Diversão nos lanches

Para inserir maior diversidade de frutas ao cardápio do seu filho, nada melhor do que piqueniques. Pode ser no parque do condomínio ou no quintal de casa mesmo. Outra dica importante é sempre ter na geladeira frutas limpas e prontas para o consumo, que podem ser mais fáceis de consumir do que abrir um pacote de biscoitos.

Seja o exemplo

Mesmo com a correria do dia a dia, procure fazer pelo menos uma refeição com a família reunida. Esse hábito, além de reforçar os vínculos afetivos, educa para a boa alimentação. 

Nada de recompensas ou castigos

Do mesmo modo que não deve haver recompensa se a criança comer, não se pode castigar no caso oposto. Se seu filho estiver saudável e não comer a quantidade ideal, espere que ele sinta fome e ofereça comida novamente. Não substitua por outro tipo de alimentação, pois ele pode usar o mesmo argumento em uma próxima vez.

Desde cedo, as crianças precisam saber a importância da boa alimentação e que comer não é uma tarefa que merece prêmios. Sorvete, balas e chocolates são permitidos sim, mas com moderação, aos finais de semana, por exemplo.

O melhor tempero é a fome

Para que seus filhos comam os alimentos que são oferecidos nas refeições principais, é preciso cuidado com os lanches oferecidos entre as mesmas. Biscoitos, doces e leite acabam com a fome. Dê preferência a frutas e sucos naturais.