6 dicas para evitar a compulsão alimentar

Saiba como driblar a vontade exagerada de comer e trabalhar com sua emoções

Publicado em 14/09/2016

Muitas pessoas utilizam a comida como válvula de escape para aliviar o estresse e as frustrações do dia a dia. Apesar de parecer algo pequeno, esse impulso incontrolável pode se tornar uma compulsão alimentar. As emoções são as principais causadoras desses distúrbios, que podem agravar e tornarem transtornos alimentares como anorexia, bulimia e síndrome do comer noturno. Para evitar se alimentar exageradamente e se tornar um compulsivo, veja nossas dicas a seguir:

Diário

O estresse e as cobranças do dia a dia, tanto na área empresarial quanto na pessoal, podem influenciar na hora de se alimentar. É preciso ficar atenta a essas situações e realizar um diário com a sua alimentação e também sobre seus sentimentos. Dessa forma, ficará mais fácil descobrir o motivo da doença, observando o momento em que houve maior descompensação para solucioná-lo.

Atividades prazerosas

Deixe de lado a atividade de comer e invista em ações prazerosas para ocupar seu tempo livre. Isso ajudará a manter o cardápio longe do pensamento. Recomenda-se portanto, atividades de maior esforço físico e de concentração, como meditação e interação com animais.

Alimentos saudáveis

Tente manter controle da sua saúde física e mental. Procure mudar os hábitos para evitar consequências negativas, colocando no seu cardápio refeições saudáveis e nutritivas. Elas garantem maior sensação de saciedade, ou seja, não deixam você com fome tão cedo. Procure abastecer sua geladeira somente com alimentos saudáveis, pois no momento em que você sentir necessidade de comer, irá ingerir pratos com diversos benefícios ao organismo.

Ajuda profissional

Caso sinta que sua vontade de comer está além do normal, procure a ajuda de um profissional como o psicólogo. Ele te auxiliará a compreender e lidar com as emoções envolvidas com a compulsão alimentar. Há também outro tipo de profissional, chamado health coach, que busca organizar e procurar ferramentas para que o paciente mude seus comportamentos. O nutricionista e o nutrólogo também podem ajudar em uma dieta saudável e equilibrada. Porém, se o caso foi determinado como grave, um psiquiatra deve ser consultado para prescrever medicamentos. 

TPM

Segundo especialistas, a vontade exacerbada de comer na TPM também está relacionada à queda da serotonina, que tem grande influência no controle do comportamento alimentar. Ao ingerirmos carboidratos, há o aumento dos níveis desse composto, liberando a sensação de saciedade. Portanto, se a produção da serotonina estiver baixa - como geralmente acontece na TPM -, a mulher tem tendência a comer.

Recomenda-se que nesse período, aconteça a ingestão de alimentos ricos em vitamina B6, como a banana, o abacate, a semente de girassol, magnésio, presente em folhas verdes e legumes e triptofano, encontrado nas castanhas, nozes e amêndoas.

Substituições

Mude seus hábitos alimentares, ingerindo pratos com menor índice glicêmico (açúcar), como as massas integrais. Isso trará maior sensação de saciedade ao organismo e maior liberação de insulina.

Foto: Divulgação